Big Bang: Quando os astrônomos descobrem o que a Bíblia revela !

A maioria dos tratados científicos sobre cosmologia dão crédito à Arno Penzias e Robert Wilson, sobre a descoberta de que o Universo surgiu de uma grande explosão conhecida como Big Bang. Embora seja verdade de que eles foram os primeiros à descobrir a radiação deixada pelo evento da criação do Universo (1965), eles não foram os primeiros a reconhecer que o Universo sofreu uma expansão, partindo de um estado quente e compacto.
Em 1946, George Gamow calculou que o Universo está em expansão. Em 1929, Edwin Hubble estabeleceu a velocidade das galáxias, como resultado de uma grande explosão. Quase na mesma época, Abbé Georges Lemaître, um padre jesuíta foi o primeiro a promover o Big Bang como o evento descrito na Bíblia: Haja Luz !
A primeira evidência científica para um Big Bang vem de 1916, quando Einstein observou que suas equações apontavam para um universo em expansão. Mesmo assim, ele se recusou a aceitar o princípio implicito e preferiu com o senso comum na época de que o Universo era eterno.
Todos estes cientistas estavam ultrapassados quase 2500 anos, pelos escritores bíblicos. Profetas e apóstolos, que não entendiam de astronomia, repetidamente escreveram sobre os fundamentos do Big Bang, ao afirmarem sobre uma criação, de um tempo finito e um universo passando por uma expansão.
Em Isaías 42:5 diz: “Assim diz Deus, o SENHOR, que criou os céus e os estendeu…” Ou seja, Deus criou o Universo e o estendeu… expandiu !!!
O Hebraico traduz a expressão “criou” de Isaías 42:5 como “barah”, que tem como sentido “trazer a existência algo novo, que partiu do nada..” Esta mesma palavra(bara´) é citada sete vezes no A.T. (Gênesis 1:1; 2:3; 2:4; Salmo 148:5, Isaías 40:26; 42:5; 45:18).
Hebreus 11:3 reforça isto quando diz: “Pela fé entendemos que os mundos pela palavra de Deus foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente.” Ou seja, aquilo que é visto é detectado, foi feito daquilo que não é visto. Moléculas !!!
A Bíblia afirma que Deus é o agente pré-existente responsável pela criação do Universo. Deus antecede ao Universo e participou ativamente de sua criação. Em Colossenses 1,assim como em Provérbios 8:22-31, João 17:24; Efésios 1:4, 2 Timóteo 1:9; Tito 1:2 e 1 Pedro 1:20, são textos que nos afirmam sobre isto.
Diversos versículos relatam a palavra “esticado” ao se referir aos Céus. Jó 9:8; Salmo 104:2, Isaías 40:22; 42:5; 44:24; 45:12; 48:13; 51:13, Jeremias 10:12 e 51:15
É impressionante que estes onze versos usam formas verbais diferentes para descrever o alongamento dos céus. Sete versículos, Jó 9:08, Salmo 104:2, Isaías 40:22; 42:5; 44:24; 51:13, e Zacarias 12:1 empregam a forma de particípio ativo do verbo Qal Natah. Esta forma literalmente significa “curso continuo, alongamento” (os céus). Quatro versos, Isaías 45:12; 48:13 e Jeremias 10:12; 51:15 use o tempo perfeito Qal.
Assim, segundo a Bíblia, o alongamento dos céus é tanto “acabado” como “permanente”, conforme Is. 40:22 (“E ele o que está assentado sobre o círculo da terra, cujos moradores são para ele como gafanhotos; é ele o que estende os céus como cortina, e o desenrola como tenda para nela habitar.”) aonde encontramos os dois verbos usados de formas diferentes. A palavra “Estende” é o verbo Natah no particípio ativa Qal. Na parte final, a palavra “desenrola” é mathah na forma de waw é um Qal Imperfeito, que traduzido literalmente daria “espalhou para fora”.
Além de declarar notoriamente a circunferência terrestre, Isaías diz que Deus estendeu os céus e constantemente exerce seu poder denserolando o Universo. O primeiro no ato completo e o segundo no tempo contínuo.
Qual princípio da cosmologia é parecido com a declaração bíblica? Resposta: Big Bang ! Pois apenas o Big Bang defende que toda a criação física foram criadas instantaneamente e que terminou, permitindo uma expansão contínua do Universo.
Finalizando, a Bíblia além de defender o Big Bang, afirma que as leis da termodinâmica, gravidade e eletromagtismo agiram durante toda a criação.

Publicado em ASTRONOMIA, Eduardobaldaci.com | Deixe um comentário

Espetáculo celeste nos céus de Cuiabá

A Lua em fase crescente, os Planetas Marte e Saturno e a Estrela Spica estarão próximos nos céus de quase todas as cidades do Mundo. A Estrela mais fraca que estiver visível próximo de Marte é conhecida como Porrima. Enquanto a mais brilhante próximo de Saturno é a estrela Spica, ambas da constelação de Virgo.

Por Volta das 19:19 (Horário de Cuiabá), o Hubble estará “nascendo” no azimute 262º W, seguindo na direção 330º(NMW) às 19: 26.

Publicado em Astronomy`s hot sites | Deixe um comentário

Professores terão capacitação em Tecnologia Espacial

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) firmou parceria com a Agência Espacial Brasileira (AEB) para ofertar capacitação em tecnologia espacial aos formadores dos Centros de Formação e Atualização dos Profissionais da Educação (Cefapros) e aos professores do Ensino Médio Inovador das Escolas Estaduais.

O objetivo é fortalecer a difusão do estudo dessa temática nos currículos escolares, motivar os educadores a ofertarem cada vez mais aulas que englobem o estudo espacial e descobrir novos talentos para a área. Serão ofertadas 100 vagas, sendo que 50% são para os educadores do Estado e a outra metade para profissionais de instituições parceiras.

Em reunião realizada nesta quarta-feira (18.07) na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) representantes da Superintendência de Formação da Seduc, do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), da própria federal, Universidade Estadual (UNEMAT), Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), da ONG SPACE para o Progresso da Astronomica, cidadania e educação e da prefeitura de Cuiabá discutiram com o gerente da AEB que desenvolve o programa de capacitação escolar, Carlos Eduardo Quintanilha, a mobilização para o curso que ocorrerá de 24 a 28 de setembro.

De acordo com o coordenador de Formação em Tecnologia Educacional da Secretaria, Edevamilton de Lima Oliveira, durante a semana de atividades os professores “trabalharão diretamente com tecnologia e inovação na área espacial”, além de discutir formas de trabalhar com os alunos em sala de aula.

Formadores

Carlos Quintanilho informou que uma equipe de cerca de 20 pessoas entre profissionais da AEB Escolar, do INPE e instituições que trabalham com a temática serão os responsáveis pela oferta das aulas. O curso de 48 horas aula garantirá certificação aos profissionais que participarem de 90% das atividades.

Ele destaca que principal pauta que será abordada é o estudo do “segmento solo”, que trata-se da avaliação e pesquisa das instalações do INPE na capital. O representante do INPE, Luiz Carlos Nascimento citou que os cursistas terão a oportunidade de “aprender tudo” sobre lançamento de satélites e propulsão de foguetes.

“Eles também poderão verificar como as imagens de satélites são recebidas, gravadas e distribuídas. Com essas informações eles poderão estudar sobre mudanças climáticas, queimadas, devastação do meio ambiente. Também ensinaremos como fazer pesquisas de imagens via internet que poderão ser feitas pelos estudantes nas escolas”, finalizou.

Publicado em 100 horas de astronomia | Marcado com , | Deixe um comentário

Cientistas encontram galáxias escuras dos primórdios do Universo

 

quasar HE 0109-3518 (Foto: ESO, Digitized Sky Survey 2 and S. Cantalupo (UCSC))A imagem profunda mostra a região do céu em torno doquasar HE 0109-3518 (Foto: ESO, Digitized Sky Survey 2 and S. Cantalupo (UCSC))

Astrônomos divulgaram nesta quarta-feira (11) que observaram pela primeira vez a existência das galáxias escuras. Segundo a teoria, esse é o estágio inicial da formação das galáxias, mas elas nunca haviam sido registradas pela ciência.

Os objetos evasivos foram vistos pelo Telescópio Muito Grande (VLT, na sigla em inglês), construído no Chile pelo Observatório Europeu do Sul (ESO, na silga em inglês), projeto do qual o Brasil faz parte. Na imagem acima, uma dessas galáxias é detectada, iluminada por um quasar — o núcleo muito brilhante de outra galáxia.

As galáxias escuras são pequenas e têm grande volume dos gases dos tempos da origem do Universo, que não são eficazes para formar estrelas. Pela teoria, esses objetos devem ter “alimentado” galáxias maiores, e esse gás teria depois dado origem às estrelas que existem atualmente.

Publicado em ASTRONOMIA | Deixe um comentário

Polo sul da maior lua de Saturno aparece em nova imagem da Nasa

A agência especial americana (Nasa) divulgou nesta quarta-feira (11) uma imagem colorida de um redemoinho no polo sul de Titã, a maior lua de Saturno.

A fotografia foi captada no dia 27 de junho, pela sonda Cassini, e mostra uma massa de gás girando em torno do satélite.

O polo sul de Titã tem cerca de 5.150 km de diâmetro e está próximo ao centro da imagem. O turbilhão no polo sul pode estar relacionado com a chegada do inverno e o início do que seria uma cobertura polar.

Tita (Foto: Reuters/NASA/JPL-Caltech/Space Science Institute)
Polo sul de Titã está próximo ao centro da imagem (Foto: Reuters/NASA/JPL-Caltech/Space Science Institute)

Os cientistas acreditam que as nuvens se formem nas bordas por causa de uma troca de massas de ar atmosférico.

Imagens novas e mais detalhadas como essa só foram possíveis porque a órbita da Cassini estava inclinada. Anteriormente, entre março e maio, a sonda da Nasa havia feito fotos da região equatorial de Saturno e Titã.

 

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Agência Europeia alerta sobre riscos de alta quantidade de lixo espacial

Uma nave espacial tripulada se choca com um pedaço de lixo espacial e fica orbitando à deriva. Esse é o tema do filme “Gravity”, estrelado por George Clooney, com data de lançamento prevista para 2013, que fez a Agência Espacial Europeia (ESA) anunciar com preocupação que esta é possibilidade real.

Em comunicado, o órgão aponta que dos mais de 6 mil satélites lançados desde o começo da era espacial, menos de mil seguem operacionais, enquanto o restante entrou novamente na atmosfera ou segue em órbita abandonado.

A situação, de acordo com a agência, significa um alto risco da geração de novos fragmentos de lixo espacial, caso as baterias ou o combustível desses equipamentos causem explosões.

Sobre o potencial destrutivo do material que está em órbita, a ESA explicou que um parafuso, com cerca de dois centímetros que sobrevoe a Terra a uma velocidade de 7,5 quilômetros por segundo pode destruir um satélite.

Mapa mostra quantidade de lixo espacial na órbita terrestre. (Foto: Nasa / AP Photo)Mapa mostra quantidade de lixo espacial na órbita terrestre. (Foto: Nasa / AP Photo)

A entidade apontou ainda que mesmo não se lançando novos satélites, as simulações mostram que os níveis de fragmentos em órbita seguiriam aumentando. Por isso, a ESA criou a iniciativa “Clean Space” (espaço limpo, em livre tradução do inglês).

A agência investiga métodos que contribuam para minimizar o impacto das atividades especiais europeias, reduzindo a geração de resíduos tanto na Terra como no espaço. Os projetos incluem controlar o impacto das tecnologias espaciais sobre o meio ambiente, desde seu desenho e fabricação até sua eliminação no fim de sua vida útil.

Entre os novos processos industriais que se incluem nessa filosofia, por exemplo, estão métodos inovadores de soldagem, por exemplo, que permitem o uso de menos materiais e menos energia, para produzir resultados de maior qualidade.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

A little step to reach a dream… and you can help with just U$ 10,00 !!!

This telescope is being donated by an NGO, but I must go and get it in Vancouver CA. The price of this unit in Brazil would be the same as R$ 12.000 (6,800 U$D). The amount that was spent going to Canada is around $ 2.500 (something around 64% off the total price – cheaper than buying in Brazil).

Thus, the campaign has advanced … I only need $ 2,500 (to expenses just with airtickets and hotel) … if you can help me with a 10,00, time may be now. The Observatory of Mato Grosso is close to leaving the paper.

Publicado em ASTRONOMIA, astronomy with purpose | Deixe um comentário