Nasa tenta pousar sonda neste domingo para achar ‘tijolos da vida’ em Marte

engenheiros da Nasa terão apenas mais uma oportunidade de ajustar o curso da espaçonave, no sábado. Depois disso, o destino da Phoenix já estará selado, antes mesmos da difícil tentativa de descida no planeta vermelho, marcada para as 20h53 deste domingo (25).

O desafio não pode ser subestimado. A equipe da agência espacial americana tem por objetivo realizar uma forma de pouso que foi conduzida com sucesso em Marte pela última vez em 1976 — 32 anos atrás.

Em vez de usar airbags para o contato final com a superfície — como o fizeram as missões robóticas Mars Pathfinder e Mars Exploration Rovers –, a Phoenix usará retrofoguetes, que devem desacelerar a sonda e permitir que ela pouse suavemente sobre seus três pés.

A última sonda a tentar fazer isso foi a americana Mars Polar Lander — que se espatifou no chão marciano, em 1999, e nunca mais foi vista. Curiosamente, a Phoenix está lá para fazer o que a Polar Lander não conseguiu — descer numa das regiões mais geladas de Marte. Só que, enquanto a Polar Lander mirou uma área próxima ao pólo sul, a Phoenix tentará a sorte no pólo norte.

A Nasa sabe que é uma missão de alto risco. Quanto risco? “Tem muitos cálculos, mas o melhor medidor é dizer que menos de 50% das missões para Marte tiveram sucesso. A missão tem muito risco”, disse ao G1 Ramon de Paula, engenheiro brasileiro responsável pela missão no Quartel-General da Nasa, em Washington.

Pode acontecer de tudo. A descida é feita automaticamente, e todos os sistemas — ativação dos pára-quedas, desprendimento do escudo térmico, acionamento dos retrofoguetes — precisam funcionar na hora certa, com todas as incertezas que a entrada atmosférica em um mundo alienígena traz.

Além disso, a Phoenix também precisará de sorte. Com 2,6 metros de comprimento, a sonda pode se quebrar ao meio, se der o azar de cair sobre uma rocha suficientemente grande. Não há como controlar com precisão o local de pouso (no máximo, os engenheiros desenham uma elipse imaginária no solo, e a sonda deve cair em algum ponto daquela área), de modo que o pedregulho fatal é uma real possibilidade.

Pedras adjacentes ao local de pouso também podem prejudicar a abertura dos painéis solares, colocando em risco o sucesso da missão.

Todas essas emoções, a um custo de quase meio bilhão de dólares (US$ 420 milhões dos EUA, mais US$ 37 milhões vindos do Canadá, que bancou a estação meteorológica instalada a bordo da sonda).

Claro que, para arriscar tanto, a Nasa espera recompensas.

Caso a missão dê certo, terá uma oportunidade única de estudar o gelo marciano — que tem, além de dióxido de carbono, também água, como seus componentes. Mais que isso, sensores poderão procurar, em meio a essas pedras congeladas, substâncias orgânicas. Seria o próximo passo na busca por vida no planeta vermelho, depois que os jipes Spirit e Opportunity constataram que Marte já teve grandes quantidades de água corrente em sua superfície — um dos sinais para identificar a habitabilidade de um mundo, segundo os astrobiólogos.

Por ora, entretanto, tudo que a Nasa quer é que a Phoenix pouse com sucesso e envie dados científicos. É um passo crucial para manter o programa de exploração marciana nos trilhos, já que o futuro não parece particularmente animador no planejamento da agência a partir da próxima década.

Sobre Baldaci

A Haggai Alummi M606, An Amateur astronomer, A husband, father and a visionary baptist pastor working hard to Plant a Church in Cuiaba, Brazil and to establish the first Cyber Theater and Planetarium in my state(http://on.fb.me/hkCGff) Unique pastor and astronomer in Brazil. Working using astronomy to reach poor childrens and against drugs. http://bit.ly/eu0zgB Member of SOC-JPL-NASA (http://bit.ly/eoyow6) and Astronomer without borders (http://bit.ly/dTCOJG) Host of program “Eyes on skies” TV Assembléia Legislativa(http://on.fb.me/gmF5LE) e Ombudsman of Education State Secretary of Mato Grosso with assistance to 711 schools. About me at Haggai´s web site: http://bit.ly/hAfceX
Esse post foi publicado em Eduardobaldaci.com, nasa, Phenomena. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s